ANUNCIO

UVESP ASSINA PARCERIAS PARA A TRANSPARÊNCIA NA GESTÃO PÚBLICA

Diante do apelo da sociedade por uma Administração Pública Gerencial que demonstre resultados e transparência, a Uvesp  faz mais uma parceria para o ano de 2019.

UVESP e Instituto Brasileiro de Educação em Gestão Pública trabalharão para atendimento dos gestores públicos, por meio  da capacitação continuada, alertando os administradores, gestores e vereadores sobre prazos de leis, decretos entre outros. Por exemplo, em dezembro começa a valer para municípios, cuja população esteja entre 100 mil e 500 mil habitantes, o Código de Defesa do Usuário do Serviço Público, mudança que atinge todos os órgãos públicos. Para os municípios que têm menos de

100 mil habitantes (a grande maioria) a medida entre em vigor a partir de junho de 2019.

A presidente do IBEGESP, Alessandra Gaspari e a representante do Conselho Consultivo, Maria das Graças Bigal Barboza da Silva, foram recebidas na sede da Uvesp pelo presidente Sebastião Misiara e pela Diretora de comunicação, Silvia Melo.

Com essas parcerias como a também recém assinada com a Ferreira Netto Advogados e o Conselho Arbitral do Estado de São Paulo, a Uvesp amplia suas ações para o próximo ano, notadamente impulsionando a Escola Uvesp.

A UVESP inaugura sua nova sede na próxima semana no bairro de Higienópolis, com o primeiro curso em seu auditório sobre Contabilidade Pública.

NOTA OFICIAL  DA UVESP

“A eles a certeza de que, por estarem bem próximos da população, os vereadores podem se convocados, a contribuir com o desenvolvimento do Estado de São Paulo.”

Em nota divulgada nesta segunda feira (28), a União dos Vereadores do Estado de São Paulo – UVESP, cumprimenta o Governador eleito João Doria, o Vice Governador Rodrigo Garcia e reforça a importância do municipalismo para o desenvolvimento paulista.

Confira abaixo a nota na integra:

 

A UVESP – União dos Vereadores do Estado de São Paulo – pela sua diretoria, representada pela Presidência e Diretoria de Comunicação – cumprimenta o Governador eleito do Estado de São Paulo, João Dória e o vice-governador , Rodrigo Garcia, desejando-lhes  um mandato sereno focado no desenvolvimento do Estado líder da Federação.

Ao mesmo tempo, congratula-se com os futuros dirigentes paulistas pelas seguidas manifestações de apoio ao MUNICIPALISMO, símbolo maior do fortalecimento do Poder Local.

O século XXI vem  desenhando o fortalecimento dos governos locais e assistirá no seu tempo um processo de autonomia do Poder Local para operar políticas públicas diretamente.

Como diz o ex-governador Geraldo Alckmin esse é o “Século dos Municípios” e declaração do governador eleito de reeditar a Secretaria do Interior é demonstração inequívoca que dá legitimidade à sua declaração de “Gestor  Municipalista.”

Por outro lado, a afirmação do Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro,  eleito pelo povo de que Brasília será menos do que o Brasil em reforço à tese municipalista de que é preciso entender a Federação como um todo, também enche de satisfação todos aqueles que  defendem o Município como sede principal da Nação Brasileira.

A eles a certeza de que, por estarem bem próximos da população, os vereadores podem se convocados, a contribuir com o desenvolvimento do Estado de São Paulo.

A Uvesp, por sua vez, com os 34 Parlamentos Regionais, também se coloca à disposição para contribuir, a partir do Poder Local, com essa Esperança que nasce acima das tormentas, pelo fortalecimento municipal

ARISP QUER REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA PARA VALORIZAÇÃO DAS MORADIAS

Francisco Raymundo, presidente da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo, recebeu o presidente da Uvesp, Sebastião Misiara e a diretora de comunicação, Silva Melo, na sede da Arisp.

Francisco explicou que o sistema de estrutura ARISP congrega 316 Oficiais de Registro de Imóveis do Estado de São Paulo ao mesmo tempo em que disponibiliza acesso para outros 10 estados da Federação, permitindo a utilização das plataformas e ferramentas eletrônicas para mais de 1.800 cartórios de Registro de Imóveis do Brasil.

“Podemos contribuir para o desenvolvimento do Estado de São Paulo, principalmente em parceria com os Poderes Constituídos”, afirmou o presidente.

Ele lembrou que o setor imobiliário representa uma dimensão importantíssima da economia nacional, com grande capacidade de geração de emprego formal e renda. “É o que o Brasil precisa para voltar a ser um país de crescimento sustentável que traduza em felicidade para sua gente.

Por outro lado, o presidente Francisco, chamou a atenção para um bom número de moradias têm irregularidades dominiais, o que se revolve, segundo ele com o apoio das autoridades e compreensão da sociedade.

“É importante uma ação para regularização fundiária, que além de assegurar o direito à moradia adequada, permite que parte expressiva da cidade ilegal seja  integrada à cidade legal, garantindo maior valor de mercado”, propôs.

Curso UVESP – Contabilidade pública no Executivo e Legislativo

Vereadores, assessores, secretários municipais e contadores

Objetivo: Oferecer uma visão geral das mudanças  na contabilidade do setor publico e possibilitar um entendimento sobre os procedimentos contábeis orçamentário e patrimonial e, finalmente, orientar quanto a procedimentos para o encerramento contábil do exercício e prestação de contas.

Dia 22 de novembro

09h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Local: Auditório da nova sede da UVESP
Rua Pará, nº 50 – Higienópolis

Investimento: R$ 370,00 (incluído o almoço)

Professora . Ma. Fabiana Ferreira Pascoaloto
Mestra em contabilidade, professora universitária, com experiência em implantação de Sistema de Contabilidade Pública. Multiplicadora credenciada do novo modelo de Contabilidade Pública, pela Secretaria do Tesouro Nacional.

Vagas limitadas

Inscrições até 12 de novembro

Clique aqui e se inscreva 

LEIS MUNICIPAIS BARRADAS PELO TJ CRESCEM 63% NO ESTADO

Uvesp fez parceria para poder ajudar os presidentes de Câmaras filiadas, com o grupo Ferreira Netto Advogados

Em 2017, segundo o Anuário da Justiça, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, considerou inconstitucional 815 leis de um total de 972 analisadas. O número representa 84% do total examinado.

As ações diretas de inconstitucionalidade cresceram 63% desde 2013. Essas leis vetadas muitas vezes interferem em outro Poder, o que provoca o exame do TJ, quando se propõe o dispositivo que serve para contestar se uma lei ou norma é constitucional ou não.

O objetivo da Uvesp, graças ao seu Estado,  é orientar os filiados e – em último caso – os vereadores que propõem leis, muitas vezes sem o amparo legal, sem contar os projetos que são apresentados a pedido de grupos ou instituições interessadas. “Isso acarreta um enorme prejuízo ao bom andamento do processo legislativo e fere as intenções do Executivo”, comentou o presidente da Uvesp, Sebastião Misiara.

Em lúcido artigo publicado no Jornal do Interior (fevereiro/2015), o então presidente do TJ, desembargador José Renato Nalini alertava para o número de leis  declaradas inconstitucionais, como também via visão curta, também nos julgamentos. “Ocorre que ainda persiste uma orientação conservadora, que não consegue enxergar no município, que é uma entidade federativa de acordo com a Constituição da República, o perfil de pessoa jurídica de direito público de igual relevância à União, estados-membros e Distrito Federal. Tenho reiteradas vezes, invocado tal circunstância para reconhecer às cidades uma iniciativa ampliada em termos de legislação”, escreveu o prof. Nalini, referindo-se às decisões judiciais.

“Restam às leis que são, efetivamente, incompatíveis com o texto ou com princípios constitucionais”, disse. Afirmou que em relação a isso, recomenda que os legisladores façam um levantamento da jurisprudência do Órgão Especial, que servisse como orientação.

A Uvesp entende que o melhor caminho é a assessoria jurídica tanto na apresentação das leis, como na sua elaboração, assim com a revisão da Lei Orgânica do Município que pode estar em desacordo com a Constituição.

O advogado Cassio Telles Ferreira Neto disse que para o escritório é uma satisfação fazer parceria com a Uvesp e o movimento municipalista. “Podemos contribuir, graças a um corpo de profissionais com ampla experiência nessa área, para  que as iniciativas não sofram solução de continuidade”, disse.

Segundo o Anuário da Justiça, 730 Adis tiveram o mérito julgado. Em 624 (85,5%), a Justiça entendeu haver, de fato, ilegalidades. Na maioria dos casos, é a prefeitura que move a ação (440), seguida do Ministério Público (299). Entre os que respondem a ação, o primeiro lugar fica com as Câmaras Municipais (57%). Em segundo estão, estão “prefeito e Câmara Municipal” (41%). Casos  só com a prefeitura representam 1%.

Da redação • imprensa@uvesp.com.br

A educação como alicerce da Nação

Acácio Queiroz é o entrevistado nessa edição em “A Força do Interior”. Palestrante que já percorreu várias cidades do Estado…

Graças ao seu livro “Fábrica de Líderes”. Cidadão Honorário de Belo Horizonte, honraria que lhe foi outorgada pela Câmara Municipal mineira, recebeu o “Prêmio Gaivota de Ouro”, em 2014 e Executivo de Seguro do Ano. Com especialização em Business nos Estados Unidos, é economista com pós-graduação em Finanças. Além disso, é escritor e palestrante. Mais de 30 mil pessoas já tiveram a oportunidade de participar de suas palestras, uma delas promovido pela Prefeitura Municipal de Itapetininga, com mais de mil participantes, entre professores e alunos.

Com o seu capital social e com a empresa Virelid, atua no crescimento e desenvolvimento de empresas que estão iniciando ou em vista de expansão.

• MINHA BAGAGEM E FÁBRICAS DE LIDERES •

No “Minhas Bagagens” o grande objetivo era transmitir e motivar a todos aqueles que por algum motivo pensaram em desistir de um projeto, em função dos desafios que a vida nos impõem. Digo sempre que querer é poder, e é isso que esse livro demonstra, um jovem franzino que com 11 anos começou a trabalhar em busca de seu desejo de consumo uma bicicleta Monark, mas com marcha, que naquela época era uma raridade e muito cara. Ao perguntar ao meu pai ele disse “não tenho condições de atender seu pedido meu filho” então eu pedi autorização a ele para ir trabalhar durante o dia e passar a cursar o primeiro ano do ginásio a noite, e como promessa é dívida, hoje, aos 70 anos, continuo estudando muito, conforme havia prometido ao meu querido pai, que eu nunca pararia de estudar.

Com relação ao Fabrica de Líderes, é uma transferência de experiência, facilitando a jornada daqueles que desejam crescer em sua vida profissional e almejam se tornar grandes líderes. Ao longo de nossa vida, é normal que venhamos a cometer erros e seria um egoísmo de nossa parte não transferir essa experiência de forma pratica e objetiva para as gerações futuras, evitando que  passem pelos mesmos desafios desnecessariamente. Com isso aceleramos o crescimento profissional. O nome Fabrica de Líderes é em função dos inúmeros depoimentos de vários executivos, muitos deles começando conosco como trainee e hoje ocupam posições de diretores, vice-presidentes e presidentes de empresas no Brasil e no exterior. Nesses depoimentos eles relatam o seu crescimento na área pessoal e profissional e o quanto foi importante ter um mentor naquele momento da sua vida, mesmo que as vezes os desafios fossem grandes. Em síntese esse livro é um acelerador único de carreiras, pois embora eu seja adepto da teoria e do estudo, o foco está nos casos práticos.

Além dos dois livros que escrevi Minhas Bagagens e Fabrica de Líderes, também tive participação nos livros: Estratégias Práticas Para Ganhar Mais Tempo, de Christian Barbosa, O Chamado, de Maria Tereza Gomes, e BIO 50 CEO’s, de Camila Balthazar.

• EDUCAÇÃO SEM AVANÇOS •

O principal motivo de nós estarmos parados em termos de educação é sem dúvida a falta de interesse apropriado por parte do governo federal, em especial nos últimos 16 anos, onde a leitura e o analfabetismo por vezes foram até exaltados o que foi um erro imperdoável. A falta de verba condizente com as necessidades das escolas em todas as esferas, desde o ensino fundamental até a universidade também contribui e muito, e claro o desinteresse das pessoas em se formarem professores, o que no passado era motivo de muito orgulho, hoje é razão praticamente de um idealismo, pois o corpo de docentes não é renumerado apropriadamente. Hoje contamos com a boa vontade e a abnegação de nossos mestres para formar nossas crianças e nossos jovens, e muitas vezes sem salas de aula dignas e material didático e tecnológicos condizentes. Todos esses fatores somados a falta de apoio e liderança por parte daqueles que dirigem os órgãos responsáveis pela educação é que são determinantes dessa triste realidade. Teríamos que rever os programas, especialmente no ensino fundamental; é totalmente inaceitável termos essa grande quantidade de analfabetos funcionais. Graças a Deus temos ilhas onde se pratica uma educação de alto nível, muitas vezes, em função da dedicação sem limites de diretores, coordenadores e professores de determinados municípios e unidades especificas.

• INOVAÇÃO •

Toda e qualquer palestra que trouxer em seu conteúdo mensagens motivadoras, mas que sejam calcadas na vida real em questões práticas sempre irão estimular a criatividade e a inovação. Afirmo isso com base em minhas palestras, onde inicio desde a pedra fundamental “a família” e termino falando do conflito de gerações, frisando o quanto é importante o entendimento entre elas, para que o conhecimento no seu todo seja evidenciado, criando visões amplas e vislumbrando uma janela para o futuro, na qual a criatividade e a inovação sempre estarão presentes.

• HÁBTOS •

A produtividade é fruto do conhecimento da matéria + dedicação + disciplina. Sem esses três fatores é muito difícil que a produtividade seja melhorada e aqui estou falando em relação ao ser humano, é claro que tecnologia e equipamentos também são responsáveis por uma melhora de produtividade, mas nesse caso envolvem além do indivíduo uma certa quantia de investimento, o que as vezes falta no orçamento dedicado ao setor educacional.

• A FRASE DE A. TOFFLER •

“Os analfabetos do futuro não serão aqueles que não saibam ler ou escrever. Serão aqueles que não saibam aprender, esquecer o que aprenderam e aprender de novo”.

Eu a considero muito apropriada e certamente hoje tenho em minha memória, muito mais coisas novas do que grande parte daquelas que aprendi até mesmo no passado recente. O mundo muda em uma velocidade incrível, a internet das coisas está ai para não nos deixar mentir. Portanto muitas vezes o que aprendemos ontem, hoje já não faz mais sentido, e por isso você deve ser um leitor voraz diariamente, utilizando-se de todos os meios de comunicação que temos a nossa disposição, flexibilizar a mente o máximo possível, ter o discernimento apropriado e viver respeitando todos os valores que compõem a nossa vida, mas de forma moderna e atual.

• ELEIÇÕES •

O Presidente ideal seria aquele que melhor que tivesse o melhor apoio no congresso nacional, para aprovarmos as reformas necessárias para o crescimento do país, como por exemplo: reforma política, da previdência e fiscal, de preferência no primeiro ano de seu mandato. Sei que ai já é esperar demais, mas seria muito importante também que os ministérios tivessem até mesmo indicações políticas, mas com as qualificações técnicas necessárias para o bom desempenho da função. A visão do presidente para com os estados do país tendo como que o alicerce da nação a totalidade dos municípios brasileiros é algo que eu também espero que o novo mandatário ponha muita atenção.

Da redação • imprensa@uvesp.com.br

Sucesso no turismo de agronegócio

A prefeita Cláudia Botelho quando assumiu em janeiro de 2017, tinha um sonho para atrair a região para a cidade. Com dívidas herdadas, agiu com criatividade.

“Apesar das dívidas herdadas, agiu com criatividade”

Em março, pouco mais de dois meses de mandato, reuniu representantes de agricultores e produtores rurais e responsáveis por instituições ligadas ao agronegócio e com o presidente da Câmara, José Silvio Abreu.

Expondo suas ideias colocou como prioridade, a criação da Associação dos Produtores Rurais, a revitalização e modernização da feira dos agricultores, a criação da feira noturna e o apoio e presença dos agricultores, em reforço è economia local, gerando emprego e renda para a população.

“Essa minha ideia ela existe há muitos anos além de ser uma cobrança dos produtores rurais de Estiva Gerbi, porém, as administrações anteriores não se empenharam para nada, e o projeto foi esquecido, sendo que assim que assumi já procurei ir atrás e desenvolver junto com nossa equipe de governo”, destacou Cláudia.
No dia 29 de março, acontecia a primeira noite de feira noturna, com aproximadamente 50 barracas. Semana após semana, com um público crescente, a feira noturna já contava com mais de 100 barracas e já recebia pessoas da região.

• DIVULGAÇÃO •

Após uma divulgação intensa em redes sociais e jornais, em poucos meses, a feira noturna de Estiva Gerbi já estava sendo um sucesso.
Segundo estimativas da Guarda Civil Municipal, cerca de 5.000 pessoas visitam a feira noturna todas as quartas-feiras que, somado ao número de turistas que visitam o município para o turismo religioso ou rural, circularam pelo município de Estiva Gerbi durante o ano de 2017 mais de 220 mil pessoas e cerca de 50 mil veículos.

• TURISMO •

Atualmente a Feira Noturna conta com mais de 150 barracas, com uma grande variedade gastronômica com frutas, verduras e  cervejas artesanais de produtores do município e comidas típicas regionais como paeja, macarrão na frigideira, espetinhos de carnes, pães e doces caseiros, porções de peixes e muitos mais, além de brinquedos, vestuário, calçados, e toda quarta-feira uma atração ao vivo no palco da praça (show, apresentação cultural ou filme com cinema na praça).

Em tempos de crise, a criatividade faz a diferença, afinal uma feira com uma diversidade gastronômica e atrações musicais em uma praça aconchegante e segura para toda família, porém, temos de destacar a importância na divulgação que realizamos com a ajuda da assessoria de imprensa da prefeitura que, por se tratar de uma cidade pequena e que há muitos anos havia perdido o brilho, a feira se tornou um “point” de encontro da família”, explicou Cláudia.

Economicamente falando, a feira noturna criou inúmeras vagas de emprego direta e indireto, empregando o pai de família, complementando a renda da dona de casa, além de gerar impostos para o município e movimentando a economia local.

“A feira é um sucesso regional! As noites de quarta têm sido muito agradáveis e ver as crianças, os jovens, as famílias de Estiva Gerbi e região aproveitando um momento de lazer com segurança, tranquilidade, me deixa muito feliz”, finalizou a prefeita Cláudia.

Da redação • imprensa@uvesp.com.br

Prefeitos discutem resíduos sólidos com representante do Ministério Público

A geração cada vez maior de resíduos, a destinação inadequada, a falta de implementação da lei…

E fiscalização, bem como o financiamento da coleta e destinação foram os itens discutidos na reunião realizada pelo Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas) dia 18 último, na Prefeitura de Campinas.

O evento contou com a presença do prefeito de Nova Odessa e presidente do Conselho, Benjamim Bill Vieira de Souza, que também dirige o Consórcio PCJ e o Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos) e dos prefeitos Gustavo Reis (Jaguariúna), Ângelo Perugini (Hortolândia), Tiago Assim (Monte Mor), Fernando Fiori(Holambra), Hamilton Bernardes (Pedreira), Pedro Franco (Engenheiro Coelho), Marco Antonio Oliveira (Morungaba), Norberto de Olivério Junior (Santo Antonio de Posse) e Jaime Cruz (Vinhedo). Também participaram os vice-prefeitos Henrique Magalhães (Campinas), Laís Helena dos Santos (Valinhos) e Dianora Santos Cunha (Santo Antonio de Posse), além dos representantes Pedro Maciel (Sumaré), Odair Gonçalves Oliveira (Indaiatuba) e Thiago Guimarães (Americana). O Estado de São Paulo foi representado pela diretora executiva da Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas), Ester Viana e representantes de secretarias e órgãos estaduais.

Bill ressaltou que é preciso atenção ao assunto, pois as administrações municipais pagam um “alto preço” por um serviço que deveria ser feito por particulares. “É preciso ter o entendimento de que a destinação é caríssima e os cofres públicos estão sendo onerados indevidamente”, apontou o presidente do Conselho. Para o prefeito de Pedreira, é preciso haver uma aproximação entre o Ministério Público e os municípios. “Hoje nós temos receio de fazer qualquer coisa e ser autuado. Mas, precisamos encontrar meios de fazer a administração andar”, disse Hamilton.

Tiago Assis testemunhou os avanços de Monte Mor após implementar uma parceria com o MP. “Regularizamos os ecopontos, facilitamos os despejos e implantamos as mudanças solicitadas, de forma a ficar em dia com o meio ambiente”, contou ele. O prefeito Fernando Fiori disse que

Holambra também avançou muito após buscar entendimento com a promotoria de Meio Ambiente. “Hoje temos 100% de esgoto rural, inclusive. O trabalho conjunto é mais forte e termina com êxito para os moradores”.

Palestrante do encontro, o promotor de Justiça, Rodrigo Sanches Garcia, que integra o Gaema (Grupo de Atuação Especial e Defesa do Meio Ambiente) disse que a discussão regionalizada de medidas conjuntas é, “sem dúvida”, a melhor alternativa para a questão e se colocou à disposição para conduzir as tratativas com os 20 municípios da RMC. “O PNRS (Plano Nacional de Resíduos Sólidos) deve ser implementado na íntegra, inclusive com a devida cobrança dos geradores de resíduos. A prefeitura não pode pagar pelo resíduo que ela não gerou”, afirmou o promotor.

Estudo da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) apontou que o gasto municipal com custeio da limpeza pública é de R$ 10,37 por habitante/mês. “Isso inclui garis, coletores, varrição, coleta, despejo e outros itens. Mas é insuficiente para a finalidade”, explicou Carlos Silva. Para ele, apesar dos avanços nas discussões sobre a questão, o resultado ainda é lento. “Pesquisas apontam que 75% dos brasileiros não separam seu lixo em casa. Além disso, 65% sabem muito pouco ou nada sobre coleta seletiva. Ou seja, fala-se muito sobre o assunto, mas a população está pouco comprometida”, concluiu.


Noite de Premiação de personalidades

Observatório Social do Brasil, parceiro da Uvesp, foi um dos homenageados no 17º Prêmio Learning & Performance Brasil, em noite de gala comandado pelo parceiro, integrante do OSB, Francisco Soelti, no dia 27 de agosto.

O novo foco desta edição, que tem como patronesse a presidente da Microsoft Brasil, Paula Bellizia, é o Business Digital Transformation, e os projetos inscritos foram avaliados pelas aplicações das tecnologias atuais e emergentes para tornar os negócios mais ágeis e estimular as pessoas a assumirem o papel de protagonistas dessas transformações.

Além do Business Digital Transformation, o evento reconheceu projetos em cinco outros tradicionais focos do Prêmio: Learning, Performance, Learning & Performance, Learning & Performance Ecosystem e Extended Corporate University.

O presidente do Conselho de Notáveis do Prêmio, Wilson Ferreira Junior, na abertura destacou o empenho da MicroPower e do Institute for Learning $ Performance-Brasil em promover o desenvolvimento de talentos, a prática da Alta Performance e a inclusão das pessoas com deficiência visual em nosso país. Destacou os vinte anos do Programa de Capacitação e Empregabilidade, através do Virtual Vision

“Nossos agradecimentos especiais aos dirigentes das 21 organizações participantes desta 17ª edição do Prêmio Learning & Performance Brasil, iniciativa que vem contribuindo com o desenvolvimento das Pessoas e a Competitividade das Organizações em operação em nosso País, de forma Sustentável e com respeito a Diversidade Humana, e que a partir deste ano passa a contemplar o foco Transformação Digital, que em velocidade exponencial está influenciando nossas vidas e nossas instituições”, completou Wilson.

Em seguida Francisco Antonio Soeltl, Presidente e CEO da MicroPower compartilhou que o Prêmio Learning & Performance Brasil é uma evolução do Prêmio e-Learning Brasil e tem como propósito promover no Brasil o desenvolvimento dos projetos de transformação digital de negócios por meio da apropriação das tecnologias pelas pessoas, melhorando continuamente sua produtividade a partir do desenvolvimento e efetiva aplicação de suas competências, de modo a potencializar a Alta Performance, os resultados e a competitividade das organizações de forma sustentável e com respeito à Diversidade Humana.

Francisco enalteceu as contribuições e agradeceu aos membros do Conselho de Notáveis, da comissão avaliadora, patronos e patronesses de edições anteriores e das instituições apoiadoras.

• VINTE ANOS •

Coube a Daniel Musulin Soelti, director de Marketing e Alianças da MicroPower, falar sob re os vinte anos da capacitação de pessoas com deficiência, “dando-lhes condições de capacitação e empregabilidade”, afiançou.

Nesses vinte anos foram capacitadas mais de 25 mil pessoas com deficiência visual. “Dez por cento no país estão empregados”, destacou Daniel.

Daniel explicou que o Virtual Vision é um leitor de telas desenvolvido pela MicroPower que permite às Pessoas com deficiência visual acessarem com autonomia os aplicativos do ambiente Windows, como Word e Excel, além de possibilitar a leitura de e-mails e navegar pela Internet. Lembrou que o software foi lançado em 1998 e está atualmente em sua 10ª versão, acompanhando as versões do Windows da Microsoft.

O Diretor de Marketing informou também que estas realizações só foram possíveis graças ao apoio de mais de 7.000 entidades e escolas, em 1.100 municípios localizados em 26 estados e Distrito Federal. Agradeceu a Fundação Bradesco, Senai, Instituto Padre Chico, Adeva, Adeveb, Cadevi e Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul representando a todas as entidades e escolas que apoiam este programa de Capacitação e Empregabilidade das Pessoas com Deficiência Visual em nosso País.

Daniel celebrou ao lado de Francisco AntonioSoeltl, MilkaMusulinSoeltl e Denis Costa, líder de Pesquisa e Desenvolvimento e sócio da MicroPower, o fato de  2018 ser um ano muito especial para a MicroPower.

“Estamos comemorando 20 anos do lançamento do Virtual Vision e do Programa de Capacitação e Empregabilidade de Pessoas com Deficiência Visual. Para esta celebração, estamos lançando um livro comemorativo que conta essa história com mais detalhes”.

Finalizou agradecendo e informando que a partir dos fundos gerados com a realização do Prêmio Learning & Performance Brasil, nos últimos 16 anos foram doados mais de 160 computadores, equipados com 383 licenças do Virtual Vision doadas pela MicroPower, e 133 licenças do Windows e 96 licenças do Office, doadas pela Microsoft, com a iniciativa de Francisco e Milka.

• Homenagens Especiais •

Na sequência foram homenageados as Pessoas e Organizações que contribuem para o Desenvolvimento de nosso País. São elas:

• OBSERVATÓRIO SOCIAL DO BRASIL •

Ney Ribas e Roni Enara -10 anos promovendo a Cidadania, Ética e Transparência na Administração Pública.

• PERSONALIDADES DO ANO •

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, comandante da Aeronáutica – Reconhecimento pela reestruturação Organizacional e Administrativa da Força Aérea Brasileira

• TRANSFORMAÇÃO DIGITAL •

Ana Paula Assis, presidente da IBM América Latina –

Reconhecimento pelos 100 anos de contribuições da IBM para a Transformação Digital no Brasil.

• SETOR FINANCEIRO •

Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Conselho de Administração do Bradesco – Reconhecimento pelos 75 anos de contribuições do Bradesco para o desenvolvimento do setor Financeiro no Brasil

• SETOR ATACADISTA •

Alair Martins do Nascimento, presidente do Conselho de Administração do Sistema Integrado Martins –

Reconhecimento pelos 65 anos de contribuições do Grupo Martins para o desenvolvimento do setor Atacadista no Brasil.

• PATRONESSE •

Ao entregar o troféu a Paula Bellizia, homenageada como Patronesse da edição 2018/2019 do Prêmio Learning & Performance Brasil, o Sr. Wilson Ferreira Jr., Presidente do Conselho de Notáveis do Prêmio Learning & Performance Brasil, Patrono da edição 2013/2014, e Presidente da Eletrobrás, enalteceu suas qualidades como pessoa e profissional.

“Paula possui mais de 24 anos de experiência no mercado. Ela começou sua carreira em Marketing da Whirlpool em 1992 e depois de 7 anos foi para a Telefônica como Gerente de Grupo de Produtos. Paula deixou a Telefônica em 2002 para iniciar sua trajetória na Microsoft como Gerente de Vendas para Pequenas e Médias empresas. Em seus 10 anos na Microsoft, ocupou diferentes posições, sendo a última a de Diretora de Marketing e Operações da Microsoft Brasil. Em 2013 ingressou no Facebook como Diretora de Vendas para Pequenas e Médias Empresas para América Latina e mais recentemente foi presidente da Apple no Brasil, liderando a operação durante dois anos.

Recebeu o Prêmio Executivo de Valor 2017 do Jornal Valor Econômico. É membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), dos conselhos de administração da Arezzo & Co. e da Brasscom – Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação. Também integra o Conselho Consultivo da Febraban e a Comissão Internacional de Anticorrupção e Responsabilidade Corporativa da ICC (InternationalChamberofCommerce.

Nesta edição 21 organizações apresentaram 22 projetos e 5 focos.

 

 

Da redação • imprensa@uvesp.com.br