Ad

O MUNICIPALISTA E SUA HISTÓRIA. O LEGADO DE GASPARINI

O movimento municipalista começou agir em nome do Poder Local, na Constituinte de 1946. Nesse momento a força do grupo com 800 círculos municipalistas em todo o país, chamou atenção dos analistas e historiadores.

Em 1948 nasceu em São Paulo, a Associação Paulista de Municípios, com visibilidade nacional e responsável por brilhantes conquistas em favor dos municípios.

Na década de 1970/1980, o municipalismo apareceu com um principio democrático, apoiado e avançado por todas as forças de oposição ao regime militar, e também, como um principio de engenharia política institucional que permitiria conferir maior eficiência às políticas públicas.

Um jovem paulista, prefeito aos 24 anos, orador brilhante, comprometido com o desenvolvimento dos municípios, avançou o cenário nacional, chegando a assumir a presidência da Associação Brasileira de Municípios. Esse foi Welson Gasparini, que  defendeu sempre com garra e domínio do principio municipalista, o fortalecimento do Poder Local.

A bandeira proposta por Gasparini – que ganhava adeptos a cada dia –abrigou liberais, conservadores e socialistas de diversas matizes sem nenhum discriminação.

Comandou nacionalmente, com coragem quando era preciso firmeza. Transigiu sem radicalismos quando o bom senso recomendava a negociação. Ele sempre procurou transformar problemas em soluções.

Comprometido com os princípios cristãos, suas exposições sempre nos levou à afirmação que o conteúdo de nossas existências não depende de formas ou sistemas de governos. Seus ensinamentos sempre mostraram se somos construtivos é porque queremos sê-lo. Se nos acomodamos aos desajustes, diante do desemprego, da fome, da miséria, da injustiça e do enfraquecimento do poder local, é porque nossa alma está sem força moral, que lhe mude a postura.

Nos mandatos que exerceu como prefeito de Ribeirão Preto, seus mandatos, como deputado, sua peregrinação pelo Brasil, enquanto presidente da ABM , sempre deixou essa lição: observe o que acontece ao seu redor e lute pela felicidade das pessoas.

Welson Gasparini encerra seu mandato de deputado estadual e deixa a vida pública, mas suas idéias continuam fluindo, porque seu coração é municipalista.

Hoje em seu lar, mas tendo o vereador Mauricio Gasparini a segui-lo, pela sua conduta, pela sua firmeza, como cidadão de todos os tempos, ele nos faz lembrar de Juan Cortez, pensador espanhol e pai da tolerância, à volta de 1850, quando afirma que as revoluções, para nascerem, necessitam do impulso das idéias.

Impulsionando seu ideário, Welson fez admiradores e seguidores. Modestamente segui  seus passos, comemorando os que se juntam à causa, porque temos, sim, deficiências, dificuldades, decepções e frustrações na relação entre os Poderes, porque há muito de teórico ainda no avanço que tivemos.

Sebastião Misiara

*Sebastião Misiara é Presidente da União dos Vereadores do Estado de São Paulo

Ad
Ad