Ad

OBSERVATÓRIO SOCIAL DO BRASIL AMPLIA HORIZONTES

No congresso Conexidades 2018, realizado em Ubatuba, o painel de “Transparência Pública”, que recebeu nota 10 na pesquisa junto aos participantes, contou com a participação do Observatório Social do Brasil – Sistema OSB, entidade sem fins lucrativos e apartidária, que atua há dez anos na prevenção a corrupção, monitoramento e aplicação dos recursos públicos. A entidade conta atualmente com cerca de 3 mil voluntários em mais de 130 municípios em 16 estados.

Um dos seus voluntários é o empresário Francisco Antonio Soelti, CEO da MicroPower, vice-presidente de Tecnologia da Informação do Sistema OSB e conselheiro do Observatório Social do Brasil, de São Caetano do Sul.

Francisco Antonio Soelti

A grande contribuição que Francisco ofereceu ao Observatório foi a criação do MonitLegis, que permite monitorar as atividades legislativas, despesas incorridas e frequência dos vereadores. O sistema já está em funcionamento, desde o início dessa legislatura em 65 municípios em nove estados, sendo 15 em São Paulo.

Franca, Itupeva, Jacareí, Limeira, Lins, Ourinhos, Praia Grande, Ribeirão Preto, Rio Claro, São Caetano do Sul, São José do Rio Preto, São Paulo, Sorocaba e Taubaté, são os municípios paulistas que já contam com a ferramenta que monitora o trabalho dos vereadores. www.osbrasil.org.br

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Entre as inúmeras realizações da empresa dirigida pelo nosso entrevistado, destaca-se o “Programa de Capacitação e Empregabilidade das Pessoas com Deficiência Visual, que completou 20 anos, atendendo já 25 mil pessoas com deficiência visual, em todo o Brasil, sendo que dois mil deles em atividade profissional.

Diante do sucesso desse atendimento foi criado o Instituto MicroPower de Responsabilidade Social, presidido pela sra. Milka Musulin Soelti, que neste ano distribuirá 450 computadores.

A empresa, em razão dessa área, criou o prêmio “Learning &Performance Brasil, que já reconheceu mais de 150 organizações desde sua criação em 2001, e tem o propósito, segundo Francisco de “promover no Brasil o desenvolvimento dos projetos de Transformação Digital de Negócios, através da apropriação das Tecnologias por parte das pessoas, melhorando continuamente sua produtividade” (www.i4p.com/premio).

Escola da Cidadania

Sobre a escola, Francisco confirmou que tem por objetivo a capacitação dos contribuintes para o exercício de seu direito constitucional. “Para o segundo semestre serão realizados cursos, em parceria com a Uvesp, para vereadores e seus auxiliares”, afirmou – http//escola.osbrasil.org.br

CGU

Como parceiro da Controladoria Geral da União, que, também, participou do Conexidades em Ubatuba, Francisco  disse que ela tem contribuído de forma inestimável para o aperfeiçoamento da gestão do legislativo municipal,” e como referência  temos os critérios utilizados para o cálculo do ranking do MonitLegis, que foram inspirados na Cartilha do Vereador que exemplifica de forma didática as principais atividades típicas de fiscalizar agrupadas em 8 (oito) áreas de Gestão: Patrimonial, Recursos Humanos, Controles, Fiscalização da Gestão, Orçamentária, Contratações e Operacional.

VOTO SECRETO

Sobre a discussão do Senado (vencida pelo voto aberto), o CEO da MicroPower, elogiou a campanha da Uvesp “Se o Cargo é Público, por que o Voto é Secreto” e destacou a obrigação de todos para a transparência dos gastos públicos “eliminando possibilidades de corrupção e cumprindo o princípio da Ética”, reafirmou.

Ad
Ad