Ad

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NOS MUNICÍPIOS

                                                                                                                            * Sebastião Misiara

Os prefeitos e vereadores sonham com o futuro de sua comunidade, imaginam o melhor dos mundos para as pessoas e lutam para que tudo se concretize.

Nessa empreitada máxima, a do êxito, a força da determinação e o conhecimento de gestão, associado à ferramentas indispensáveis, são fundamentais para dominar os eventuais tropeços, superar as adversidades e harmonizar os conflitos.

As cidades são corpos vivos e seguem seu destino. Nosso empenho é fazer com sua jornada flua com a máxima velocidade e qualidade possível. Esse é o nosso objetivo, a meta dos gestores públicos, mas, nem sempre os resultados são os almejados. Surgem muitas mudanças no percurso, e é preciso muita resiliência para enfrenta-las.

No mundo moderno, a única constante, são as mudanças que ocorrem a uma velocidade exponencial e antes inimaginável. As mudanças vêm em turbilhão. Se os gestores não conseguirem gerenciar esse processo seremos todos atropelados por ele. Esta já é a realidade do setor privado para atender a Jornada de seus Clientes.

Assim tem sido nas metrópoles, nas cidades médias e até pequenas. Ocorrem mudanças nem sempre passíveis de gerenciamento imediato e, por essas dificuldades econômicas, oriundas de desastrosas administrações, acabam por se transformar em problemas de difícil solução. É fundamental trabalhar de forma preditiva, antecipando as demandas da sociedade.

A tarefa primordial de um líder, a missão de um dirigente, é prover a modernização do seu núcleo para que a vida no município, atinja níveis superiores de qualidade. Não bastam, porém, a capacidade e o espírito público do administrador para a superação das deficiências e o encontro de soluções duradouras e definitivas para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal e melhorar a qualidade de vida de sua gente, entendendo e atendendo a Jornada dos Cidadãos.

A transformação digital é o melhor caminho para ativar o êxito administrativo. Tecnologias modernas e de ponta, acessíveis a curto prazo, criam condições para o progresso e o conforto das cidades, renovando padrões e apresentando desafios que não podem ser recusados, e agilizando os serviços aos munícipes.

O cliente do Poder Público, o munícipe espera essa inovação, pois o Plano de Transformação Digital tem que ser o “canal do cidadão”, com informações transparentes rápidas e precisas, permitindo que as secretarias responsáveis pelas ações interajam em tempo real no atendimento se suas demandas.

O Brasil tem o terceiro maior potencial de transformação digital do mundo e as empresas que criaram esse modelo tem apresentado resultados positivos e o município, assim como a iniciativa privada, precisa apresentar resultados, fazer a gestão por indicadores do nível de serviço prestado.

A Associação Brasileira de Recursos Humanos inicia uma grande campanha para que os setores responsáveis pela comunicação digital se tornem habilitados para implementar uma gestão corporativa inteligente, com análise dos dados e publicação de informações relevantes e acessíveis à população, e incentivando o profissional de Recursos Humanos a ser protagonista nesta empreitada.

No Brasil a população mais digital desenvolve capacidade de crítica e de vocalização de seus anseios, aspirações e vontades. Atender essa atitude crescentemente participativa obriga os administradores, assim como os dirigentes de empresas, a se manterem atentos em seus procedimentos para dar melhor resposta à comunidade.

E todos podem contar com a Associação Brasileira de Recursos Humanos , seccional São Paulo. A entidade estabeleceu que um dos pilares estratégicos da atual gestão é a Transformação Digital e, com isso, irá priorizar a capacitação dos profissionais de RH para o trabalho no mundo ágil. Certamente se tornarão protagonistas dessa jornada nas empresas que atuam.

Esse objetivo da ABRH-SP, que pretende influenciar na formulação de politicas públicas que minimizem os impactos da revolução 4.0 no emprego.

Trata-se, portanto, de um momento ímpar da nossa história de se criar uma aliança entre setor público e privado em prol da competitividade do país e do bem estar social.

 

Sebastião Misiara – Presidente da UVESP
Ad
Ad