Ad

“Dr. Sérgio trouxe para nós um bem que não tem preço; trouxe instrução, orientação, capacitação”, afirmou a presidente Sonia Beolchi.

Já o proponente de Jaú, Wagner Brasil disse que “ele jamais deixou de atender e responder as dúvidas e as preocupações dos agentes públicos”.

O mês de agosto foi de festa para o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. O Secretário- Diretor Geral Sérgio Ciquera Rossi recebeu dois títulos de Cidadania. No dia 10, em Jaú, e no dia 17, em Ibirá.

Em Jaú, o titulo de “Cidadão Jauense” foi proposto pelo vereador e diretor da Uvesp, Wagner Brasil. Em Ibirá pela vice-presidente da Uvesp e presidente da Câmara, professora Sonia Beochi.

Brasil, em sua fala, destacou as qualidades do homenageado, a parceria com a Uvesp e sua disposição em orientar. “Sérgio Rossi tem propiciado a vereadores, prefeitos e servidores a oportunidade de aprender e evitar erros no comando da administração. Isso para nós, que representamos a população, por si só justifica a outorga unânime dessa honraria ao nosso homenageado”, disse Wagner.

Segundo Sonia Beolchi, o Dr. Sérgio Rossi, “não só para nossa cidade, mas para todos os municípios um bem que não tem preço, trouxe conhecimento, instrução, orientação, adquiridos ao longo dos seus 48 anos de trabalho no TCE, sempre formando vereadores, prefeitos e agentes públicos, tempo este suficiente para a sua sensibilidade captar os anseios, dúvidas, temores e inseguranças dos agentes públicos e dos gestores”, disse.

Em sua exposição, perante uma Câmara repleta de vereadores, prefeitos e servidores municipais, Sonia destacou a origem humilde do homenageado. “Nasceu numa família humilde de lavradores que veio para São Paulo onde seu pai se tornou artesão de calçados de primeira linha, e sua mãe abandonou o seu trabalho na indústria para cuidar da família, que foi capaz de todos os esforços para estudar e formar seu único filho”.

O homenageado ingressou, por concurso, no Tribunal de Contas do Estado em 1970. “Possui vasto conhecimento da legislação e administração pública, especialmente no tocante a Lei de Improbidade Administrativa e a Lei de Responsabilidade Fiscal, tem do seu último livro”, disse.

“Lutou muito, disse o presidente da Uvesp, Sebastião Misiara, presente nas duas homenagens, pois de família pobre galgou posições invejáveis no contexto do mundo da administração pública”.

Sérgio Rossi, tanto em Jaú, quanto em Ibirá dedicou a homenagem ao Tribunal de Contas do Estado, “casa na qual vivo há 48 anos”, e recebeu elogios de todos que o aplaudiram de pé, diante das homenagens consideradas justas e oportunas para quem está a caminho dos 50 anos de TCE.

Foi destacado, também, o lado filantropo do homenageado, que trabalha como voluntário no Instituto de Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho, que, por sua vez, disse que seu maior tesouro são: “Minha família e meus amigos”.

O presidente da Câmara de Jaú, Lucas Flores destacou o privilégio de sentar ao lado de Sérgio Rossi na sessão solene. “Ele usa seu conhecimento não para punir, mas para orientar”.

Em seus agradecimentos, Sérgio Rossi disse reconhecer que as administrações trabalham com enorme dificuldade, “diante dos recursos escassos que recebem. Por isso procuramos orientar, encaminhar, para que tudo corra bem”, disse o homenageado.

Finalizou: “Esse talvez seja o mais legítimo reconhecimento de um trabalho, essa honraria que enche o coração de orgulho”.

Da redação • imprensa@uvesp.com.br
Ad
Ad