Ad

Novos desafios

A vida nos faz tomar decisões todos os dias, algumas com impacto de curto prazo, outras com mudanças significativas e de longo prazo. Vivi, nestes últimos dias, um destes momentos, após receber um convite que trará, certamente, uma nova dinâmica em minha vida.

Por várias vezes, nestes seis anos que contribuo neste espaço com reflexões e opiniões sobre diversos temas, registrei a burocracia excessiva e longos prazos de aprovação e licenciamento de projetos imobiliários. Realmente, se tivéssemos mais agilidade nestes processos, teríamos menos problemas habitacionais em nosso País.

Comentei, também, sobre ideias e projetos para diminuir nosso déficit habitacional com a regularização fundiária, reurbanização de favelas, LAR – Locação Acessível Residencial, e tantas outras sugestões.

Mesmo que muitas delas estejam no âmbito federal ou municipal, ao receber o convite para participar do próximo governo estadual, não pude deixar de ponderar que é a oportunidade de colaborar na construção deste mundo melhor que todos queremos.

É bastante comum a atitude de reclamar e quando chega um convite para trabalhar, no intuito de ajudar e melhorar, buscam desculpas e não colaboram. Isso vale para qualquer situação, desde pequenas reuniões em nossos condomínios e até assuntos e posições maiores em vários níveis de governo e empresa.

Sempre busquei em minhas participações e envolvimentos, nas diversas entidades da sociedade civil, colaborar com o objetivo de deixar um mundo melhor do que encontrei.

Sei das enormes dificuldades de transformação, principalmente no setor público. Já presenciei e acredito na vontade política de nosso Governador eleito, João Doria, em mudar e construir uma sociedade melhor.

Habitação é uma área estratégica para o desenvolvimento econômico e também socialmente sensível. As famílias, quando vivem dignamente, conseguem destinar um espaço para as crianças estudarem, com saneamento básico diminuímos nossos problemas de saúde, com bairros formados regularmente diminuímos também os problemas de segurança pública.

Os desdobramentos positivos de uma política habitacional que vise diminuir o déficit habitacional traz apenas consequências positivas para toda a sociedade.

Trabalharei sem viés corporativo, com uma visão macro. Empresto humildemente  os conhecimentos adquiridos nestes quase 30 anos de atividade imobiliária e 20 anos de atividade institucional,  especialmente, para atender a população mais carente.

O Brasil passa por um momento de inflexão, há grandes chances de, com viés liberal, transformarmos nosso país. O momento agora é de muito trabalho, colaboração e união.

Precisamos criar condições de gerar emprego e aumentar a renda de nossa população.

Participar do governo, como Secretário Estadual da Habitação, é também participar desse momento. Colaborar com o futuro da Nação é tarefa que, a exemplo de tantas outras pessoas, abraço com otimismo, vontade e coragem. Sempre com a disposição de contribuir, trabalhar, ouvir, aprender e me esforçar ao máximo para cumprir as diretrizes do governo Doria em prol de nosso Estado e de nosso País.

Afinal, nós, brasileiros, não podemos desistir, temos que mudar o Brasil e não deixar o nosso país.

Texto de Flávio Amary, atual presidente do Secovi e , a partir de janeiro, Secretário da Habitação do Estado de São Paulo.

Ad
Ad